sábado, 9 de julho de 2011

Educação como instrumento de equalização social, superação da marginalidade.

Sociedade é concebida como harmoniosa. A marginalidade é um fenômeno acidental que afeta individualmente um número maior ou menor de membros da sociedade.
As teorias de aprendizagem buscam reconhecer a dinâmica envolvida nos atos de ensinar e aprender, partindo do reconhecimento da evolução cognitiva do homem, e tentam explicar a relação entre o conhecimento pré-existente e o novo conhecimento. A aprendizagem não seria apenas inteligência e construção de conhecimento, mas, basicamente, identificação pessoal e relação através da interação entre as pessoas.

Entendimento do conteúdo
Verifica-se que Pozo entendeu que não se pode ser construída uma sociedade da aprendizagem apenas para aprender, na verdade ele se preocupou com a forma do aprendizado da Sociedade em função da necessidade de se aprender cada vez mais. Os ambientes computacionais destinados ao ensino devem trazer à tona fatores pertinentes à mediação humana através da tecnologia. As teorias de aprendizagem têm em comum o fato de assumirem que indivíduos são agentes ativos na busca e construção de conhecimento, dentro de um contexto significativo.


Antonio Nóvoa

Nenhuma reforma educacional tem valor se a formação de docentes não for encarada como prioridade. O português António Nóvoa traz para o foco a discussão sobre a qualificação profissional, ao reunir artigos de autores que refletem sobre o assunto. Com isso, cria uma base teórica e uma nova concepção, na avaliação de Sérgio Antonio da Silva Leite, da Faculdade de Educação da Unicamp. “Nóvoa quebra a idéia de que para ensinar bem é preciso ter vocação sacerdotal”, diz.

Entendimento do conteúdo

Ser professor na atualidade exige muito mais do que o conhecimento próprio, exige paciência e determinação porque hoje os professores tem que lidar com a tecnologia e com a complexidade das pessoas, desta maneira a formação do professor deixa de ser simplesmente única e passa a ser múltipla e continua para a vida toda.
José Armando Valente
Nada impede que o aprendiz possa construir conhecimento interagindo com a informação ou desenvolvendo projetos. Porém, tudo indica que somente as ações espontâneas não são suficientes para gerar conhecimento. Estas construções necessitam do auxílio de indivíduos mais experientes, que possam facilitar o processamento da informação ou a sua organização, de modo a tornar esse processo mais acessível. Resta saber o que estas pessoas devem fazer e como devem agir. Os estudos conduzidos por Piaget sobre o fazer e o compreender indicam que a compreensão de conceitos envolvidos nas tarefas realizadas está diretamente relacionada com o grau de interação que o aprendiz tem com estes conceitos. Neste sentido, as pessoas mais experientes têm um papel fundamental.
Entendimento do conteúdo

Segundo Jose Armando Valente, os processos de ensino-aprendizagem ainda são muito baseados na idéia de que o aluno demonstra que aprendeu se ele é capaz de aplicar com sucesso as informações adquiridas. Porém, o fato de ele ser bem-sucedido não significa necessariamente que ele tenha compreendido o que fez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário